Weby shortcut
Site da FANUT
ppgnut-10-anos-topo-site

Efeito da suplementação de açafrão (Curcuma longa L.) nos perfis inflamatório e oxidativo de pacientes em hemodiálise

Este é o título da defesa pública de dissertação de Clarice Carneiro Braga, que ocorrerá no dia 22/02/2019 às 08:30h no Miniauditório Jatobá

Introdução: A doença renal crônica reduz a qualidade de vida dos pacientes, sobretudo na fase dialítica. A exacerbarção da inflamação e do estresse oxidativo estão relacionados com a ocorrência de várias complicações nessa fase. Assim, intervenções anti-inflamatórias e antioxidantes podem reduzir as desordens e melhorar a qualidade de vida desses indivíduos. Objetivo: avaliar o efeito da suplementação de açafrão sobre a qualidade de vida, marcadores de estresse oxidativo e inflamação em pacientes em hemodiálise. Métodos: Ensaio clínico randomizado-controlado, duplo cego paralelo com pacientes em hemodiálise que receberam cápsulas com três gramas de açafrão (n=33) ou amido de milho (n=33) por 12 semanas. Foram avaliados: IL-6, MDA, CAT e GPx e foram coletados dados de perfil demográfico, clínico, estado nutricional e qualidade de vida. Todos os pacientes assinaram o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. Resultados: Cinquenta e dois pacientes completaram o estudo. Não foi observada alteração significativa no MDA. A atividade da CAT e da GPx diminuíram significativamente apenas no grupo placebo (p=0,017; p<0,001). A concentração plasmática de IL-6 aumentou significativamente apenas no grupo placebo (p=0,009). Não houve diferença estatística na avaliação entre os grupos para IL-6, MDA, CAT e GPx. Em relação a qualidade de vida, no domínio físico foi observado aumento significativo na categoria “regular” e diminuição na categoria “necessita melhorar” apenas no grupo submetido ao tratamento com açafrão (p= 0,003), o mesmo ocorreu com o domínio psicológico (p<0,001). Conclusões: A suplementação de açafrão melhorou a classificação da qualidade de vida nos domínios físico e psicológico de pacientes dialíticos. O estudo sugere um potencial efeito protetor do açafrão na atividade enzimática desses indivíduos.

Categorias: Defesa