Weby shortcut
Site da FANUT
Topo PPGNUT 5
Logo facebook

Consumo alimentar e padrão de expressão do miR-375 de pacientes com carcinoma espinocelular de cabeça e pescoço

Este é o título da defesa pública de dissertação de Tathiany Jéssica Ferreira, que ocorrerá no dia 22/02/2019 às 14:00h no Miniauditório Jatobá.

Objetivo: Determinar se o padrão de expressão do microRNA-375 (miR-375) na saliva de pacientes com carcinoma espinocelular de cabeça e pescoço (CECP) está associado com o consumo alimentar. Metodologia: O estudo é do tipo transversal analítico observacional. Foram incluídos 67 pacientes com diagnóstico de CECP, ambos os sexos de 19 a 80 anos. A expressão do miR-375 foi avaliada por transcrição reversa seguida de reação em cadeira da polimerase em tempo real (RT-qPCR). As variáveis estudadas foram: idade, sexo, profissão e etnia; uso de álcool e tabaco, estadiamento tumoral e sítio anatômico. O instrumento utilizado para avaliação da ingestão alimentar foi o questionário de frequência alimentar (QFA) do estudo ELSA-BRASIL. Foi avaliada a ingestão dos macronutrientes e dos micronutrientes: cálcio, ferro, zinco, selênio, vitaminas do complexo B (B1, B2, B3, B6, B9 e B12), vitaminas A e C. Resultados: O miR-375 foi hipoexpresso em 93% (n= 62) dos pacientes com CECP. Entretanto, não houve diferença no perfil de expressão entre os sítios cavidade oral, orofaringe e hipofaringe + laringe (p=0,30). O consumo de alguns nutrientes foi associado a expressão do miR-375 de acordo com o sítio anatômico. Para o grupo cavidade oral o consumo de calorias, proteína, gordura total, gordura monoinsaturada, gordura poli-insaturada, colesterol, fibra, vitaminas B3, B9 e B12 foi associado negativamente, enquanto o consumo de cálcio, ferro, gordura saturada, selênio, zinco, B1, B2, B6 e vitamina E está associado positivamente. Para orofaringe o consumo de magnésio teve relação direta e no grupo hipofaringe e laringe o consumo de calorias, proteína, cálcio, ferro, gordura poli-insaturada e saturadas foi associado negativamente com a expressão do miR-375, enquanto o consumo de carboidratos, gordura total, colesterol, fibra, gordura monoinsaturada e trans foi positivamentemente associado. Conclusão: O padrão de expressão do miR-375 de pacientes com carcinoma espinocelular de cabeça e pescoço está associado com o consumo alimentar, sugerindo que nutrientes podem modular de formas distintas a expressão do miR-375 em sítios anatômicos diferentes.

Categorias: Defesa